DENTISTA

Doenças das gengivas são a patologia não transmissível mais comum em todo o mundo

Portugal associa-se ao combate às doenças das gengivas, que afeta 35 por cento da população mundial, com o objetivo de sensibilizar a opinião pública em relação à importância de manter as gengivas saudáveis ao longo da vida.

Doenças das gengivas são a patologia não transmissível mais comum em todo o mundo

Esta sexta-feira, 12 de maio, celebra-se o Dia Europeu da Saúde Periodontal. A doença periodontal afeta 35 por cento da população mundial e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 50 por cento dos adultos.

"Os números são alarmantes, a prevenção é fundamental e o tratamento, em qualquer estado, é totalmente eficaz", afirmam os especialistas da área.

A doença periodontal - a patologia crónica mais prevalente em humanos, segundo a OMS -, é uma infeção nas gengivas que afeta os tecidos periodontais e pode dar lugar à destruição irreversível do osso e do ligamento que suporta os dentes. Normalmente evolui de uma gengivite, que não provoca dor e é caracterizada pela inflamação das gengivas.

Esta patologia é de origem multifatorial. As causas frequentes, segundo vários ensaios clínicos, são a coexistência da ação de bactérias, a resposta do nosso sistema imunitário, a genética e os fatores de risco, tais como o consumo de tabaco, a má higiene oral, a diabetes, o stress emocional ou a osteoporose.

Não só a doença periodontal constitui um problema em si mesmo, afetando quatro em cada cinco pessoas com mais de 35 anos, como também está comprovada cientificamente a evidência de relação entre a periodontite e a diabetes, a doença cardiovascular, as lesões musculares e nas articulações, e outras doenças crónicas não transmissíveis. A ocorrência de partos prematuros e recém-nascidos de baixo peso está também muitas vezes associada a esta patologia.

Assim, a saúde periodontal pode e deve desempenhar um papel relevante na prevenção, diagnóstico e controlo das referidas doenças crónicas.

A doença periodontal evolui silenciosamente, muitas vezes sem sintomas, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento precoce. A gengivite e a periodontite, as duas principais formas de doença periodontal, são caracterizadas pela inflamação das gengivas. São doenças possíveis de prevenir e com tratamento eficaz através da combinação de um estilo de vida e de uma higiene oral adequada.

Portugal associou-se ao primeiro leque de países europeus a introduzir a Periodontologia como especialidade na Medicina Dentária.

O nosso país é um dos vários da Europa, mais de 21, que se vão associar a esta causa no combate à doença periodontal, com o objetivo de sensibilizar a opinião pública em relação à importância de manter as gengivas saudáveis ao longo da vida.

O Dia Europeu da Saúde Periodontal 2017 é organizado pela Federação Europeia de Periodontologia (EFP), em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI), membro da EFP, com o objetivo de lembrar o público que a saúde periodontal é uma forma eficaz e pouco dispendiosa de melhorar a saúde oral, a saúde geral e a saúde pública.

Assim, a SPPI está a preparar um conjunto de ações de consciencialização em todo o país, desde 9 de maio, para alertar para a doença periodontal: causas, riscos, prevenção e tratamento. "Todos juntos vamos combater a doença periodontal": este é o mote escolhido para o Dia Europeu da Saúde Periodontal 2017.

Para garantir a eficácia desta data e se cumprirem os objetivos traçados, a SPPI e a EFP encorajam médicos dentistas, investigadores, clínicos, instituições, empresas e membros da comunidade médica em geral a assinar e difundir o Manifesto Periodontologia e Saúde Geral, um alerta internacional para a prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das doenças periodontais.

O objetivo do Manifesto da EFP é alcançar um conhecimento alargado relativo às doenças periodontais como uma preocupação maior de saúde pública e geral. O EFP Manifesto Perio and General Health pode ser assinado em www.efp.org/efp-manifesto/sign.php.

Filippo Graziani, coordenador do Dia Europeu da Saúde Periodontal 2017, explica que a efeméride tem como objetivo lembrar a população que a doença periodontal é crónica, grave e é uma das doenças mais comuns em Portugal e no resto da Europa. Oito em cada dez pessoas com 35 anos ou mais apresentam algum sintoma associado às gengivas, de forma que podemos considerar um problema de saúde pública largamente disseminado, uma epidemia silenciosa".

De acordo com Filippo Graziani, "a prevalência e severidade das doenças periodontais aumentam com a idade e são influenciadas por fatores modificáveis como o tabaco, a diabetes e a obesidade". Adicionalmente, "as doenças periodontais podem ser prevenidas e tratadas com êxito, especialmente quando for realizado um diagnóstico precoce".

Segundo Susana Noronha, presidente da SPPI, em Portugal, "o Dia Europeu da Saúde Periodontal é mais um passo na divulgação à população da importância das doenças periodontais. A prevalência crescente, a natureza crónica, as possíveis complicações e a inter-relação com outras doenças como a diabetes, reforçam a necessidade de informar e esclarecer a população em gera".

Ricardo Faria Almeida, ex-presidente da SPPI, conclui que "este é um verdadeiro problema de saúde pública", por isso "é fundamental alertar a população que o sangramento das gengivas não é normal e que é possível efetuar o tratamento. A consciencialização dos profissionais de saúde para estas temáticas é fulcral, porque, só assim, é possível reduzir as altas taxas de prevalência que, em Portugal, ultrapassam largamente as europeias".

Fonte: press release

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS