Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

ZOLEPTIL

Zotepina

ITALFARMACO
Medicamento com Advertência na Gravidez Medicamento com Advertência no Aleitamento Medicamento com Advertência na Condução Medicamento Sujeito a Receita Médica (MSRM) Clique para ver o Folheto Informativo:  ZOLEPTIL
O que é
Zotepina é um fármaco utilizado em medicamentos com função antipsicótica, em psicoses agudas e crónicas do tipo esquizofrénico.

A estrutura química deste fármaco é relacionada com a clozapina e as fenotiazinas.
Usos comuns
Zotepina é usado para o tratamento da esquizofrenia, que tem sintomas como ver, ouvir ou sentir coisas que não existem, crenças erradas, desconfiança não usual, e sentir-se deslocado. As pessoas com esta doença podem também sentir-se excitadas, hostis ou tensas. Este medicamento corrige desequilíbrios químicos no cérebro melhorando o pensamento, sentimentos e crenças.
Tipo
Sem informação.
Indicações
Zotepina está indicado para o tratamento da esquizofrenia.
Classificação CFT
02.09.02 : Antipsicóticos
Mecanismo de ação
O efeito antipsicótico de deste medicamento é fundamentalmente mediado pela redução do efeito da dopamina do SNC por antagonismo dos recetores dopaminérgicos D1 e D2.
Zotepina liga-se também a quatro subtipos da 5-hidroxitriptamina (5-HT), nomeadamente aos recetores 5-HT2A, 5-HT2C, e aos mais recentemente descobertos 5-ht6 e 5-ht7. Zoleptil liga-se aos recetores a1 - adrenérgicos e H1 histamínicos, e inibe também a recaptação da noradrenalina, o que pode compensar em parte os efeitos antagonistas a1-adrenérgicos da Zotepina.
Posologia orientativa
Adultos: A dose eficaz em adultos é de 75 a 300 mg por dia. A dose inicial recomendada de Zotepina é de 25 mg, três vezes ao dia. A dose pode ser ajustada conforme a resposta clínica até um máximo recomendado de 100 mg, três vezes ao dia. Recomenda-se que os ajustes posológicos sejam realizados com intervalos de quatro dias.
Não se recomenda a administração de doses superiores a 100 mg três vezes ao dia, uma vez que podem aumentar o risco de crises convulsivas.
Administração
É administrado por via oral em doses repartidas com ou sem alimentos.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Zotepina.
Zotepina não deve ser usado em doentes em estados de intoxicação aguda por depressores do SNC, incluindo o álcool.
Devido ao aumento do risco de formação de cálculos renais, tal como com outros fármacos uricosúricos, Zotepina não deve ser utilizado em doentes com gota aguda.
Lactantes que tomam Zotepina não devem amamentar.
Efeitos indesejáveis/adversos
Exames complementares de diagnóstico:
Muito frequentes: alterações no VS, EEG alterado, aumento das funções hepáticas, aumento de peso.
Frequentes: aumento da creatinina, ECG alterado, perda de peso.
Cardiopatias:
Muito frequentes: taquicardia.
Frequentes: arritmia.
Pouco frequentes: bradicardia, palpitações.
Frequência desconhecida: foram notificados casos de tromboembolismo venoso, incluindo casos de embolia pulmonar e trombose venosa profunda, com medicamentos antipsicóticos.
Doenças do sangue e do sistema linfático:
Muito frequentes: leucocitose, leucopenia.
Frequentes: células sanguíneas anómalas, anemia, trombocitemia.
Pouco frequente: trombocitopenia.
Doenças do sistema nervoso:
Muito frequentes: tontura, síndrome extrapiramidal (acatisia, discinesia, distonias, Parkinsonismo), dor de cabeça, sonolência.
Frequentes: convulsões, desautonomia, distúrbio da fala, síncope.
Pouco frequentes: amnésia, ataxia, estimulação do SNC, coma, hipoestesia, mioclonia, Síndrome
Neuroléptico Maligno.
Afeções oculares:
Muito frequentes: visão turva.
Frequentes: conjuntivite.
Afeções do ouvido e do labirinto:
Frequentes: Vertigem.
Doenças respiratórias, torácicas e do mediastino:
Muito frequentes: rinite.
Frequentes: aumento de tosse, dispneia.
Pouco frequentes: epistaxe.
Doenças gastrointestinais:
Muito frequentes: obstipação, boca seca, dispepsia, aumento da salivação.
Frequentes: dor abdominal, anorexia, aumento do apetite, diarreia, náuseas, vómitos.
Pouco frequentes: aumento abdominal, ileus.
Doenças renais e urinárias:
Frequentes: incontinência urinária.
Pouco frequentes: retenção urinária.
Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos:
Muito frequentes: suores. Frequentes: acne, pele seca, erupção.
Pouco frequentes: alopécia, fotossensibilidade.
Afeções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos:
Frequentes: artralgia, doença articular, mialgia. Pouco frequentes: miastenia.
Doenças endócrinas:
Frequentes: aumento da prolactina.
Pouco frequentes: lactação inapropriada.
Doenças do metabolismo e da nutrição:
Frequentes: hiperglicemia, hipoglicemia, hiperlipidemia, hipouricemia.
Infeções e infestações:
Muito frequentes: infeção.
Frequentes: síndrome da gripe.
Vasculopatias:
Muito frequentes: hipotensão.
Frequentes: hipertensão, hipotensão postural.
Muito raros: choque
Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Muito frequentes: astenia, calafrios, dor.
Frequentes: dor no peito, febre, mal-estar, edema, sede.
Pouco frequentes: edema facial, hipotermia.
Situações na gravidez, no puerpério e perinatais: Pouco frequentes: perturbações menstruais.
Frequência desconhecida: síndrome neonatal de privação de fármacos.
Doenças do sistema imunitário:
Pouco frequentes: reações alérgicas
Doenças dos órgãos genitais e da mama:
Frequentes: impotência.
Pouco frequentes: ejaculação anormal
Perturbações do foro psiquiátrico:
Muito frequentes: agitação, ansiedade, depressão, insónia. Frequentes: confusão, hostilidade, diminuição da libido, nervosismo.
Pouco frequentes: delírio
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:Evitar; não foram localizadas referências do uso do fármaco durante a gravidez.; Ver Antipsicóticos. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:O produtor recomenda evitar o uso durante o aleitamento.
Conducao
Conducao:
Conducao:Altera a capacidade de condução.
Precauções gerais
Fale com o seu médio ou farmacêutico antes de tomar Zotepina:
- Sofre de epilepsia, ou algum dos seus familiares é epilético
- Sofre de doença cardíaca ou tem problemas com o seu coração
- Tem baixos níveis de potássio no sangue
- Sofre de angina (dor no peito)
- Tem tensão arterial alta grave
- Tem distúrbios no fígado - Pode necessitar de testes à função hepática nos primeiros 3 meses de tratamento
- Tem a próstata aumentada
- Tem problemas urinários
- Sofre de glaucoma de ângulo fechado (aumento da tensão do olho)
- Sofre de ileus paralítico movimento intestinal reduzido ou ausente
- Sofre de Doença de Parkinson
- Tem um tumor que afeta a medula suprarrenal (ex. neuroblastoma, feocromocitoma)
- se é idoso e sofre de demência (perda ou enfraquecimento progressivo e definitivo, parcial ou total, das funções mentais, com maior ou menor grau de alteração da personalidade)
Cuidados com a dieta
Zotepina pode ser tomado com ou sem alimentos.
Evite o álcool enquanto toma este medicamento
Resposta à overdose
Sintomas da Sobredosagem: A sobredosagem pode resultar em efeitos farmacológicos exagerados, que incluem: hipotensão, taquicardia, arritmias, agitação, efeitos motores extrapiramidais pronunciados, hipotermia, hipertermia, crises convulsivas, depressão respiratória, estupor ou mesmo coma.
No caso de sobredosagem deve ser considerada a possibilidade do envolvimento de múltiplos medicamentos.

Tratamento da Sobredosagem: Não existe um antídoto específico para o Zoleptil; portanto, devem ser instituídas medidas de suporte apropriadas. Deve-se assegurar a permeabilidade das vias aéreas, assegurando uma adequada oxigenação e ventilação. Deve ser considerada lavagem gástrica (após intubação endotraqueal se o doente estiver inconsciente) e administração de carvão ativado. Monitorização cardiovascular deve ser iniciada imediatamente e deve incluir uma monitorização contínua por ECG para detetar possíveis arritmias. A hipotensão e o colapso circulatório devem ser tratados com reposição do volume plasmático e com outras medidas apropriadas. Se for considerado o uso de agentes simpatomiméticos como suporte vascular, não se deve usar adrenalina ou dopamina, pois a estimulação beta combinada com o antagonismo a1 associado ao Zoleptil pode agravar a hipotensão.
Arritmias cardíacas podem responder à correção dos distúrbios circulatórios e metabólicos, contudo, quando persistentes ou se colocam a vida em risco, deve ser considerado um tratamento antiarrítmico apropriado. No caso de sintomas extrapiramidais graves, deve-se administrar anticolinérgicos. Crises convulsivas podem ser tratadas com diazepam intravenoso, de preferência na forma de emulsão (ventiladores e pessoal especializado devem estar disponíveis no caso de ocorrer depressão respiratória). Deve-se manter uma supervisão e monitorização médica estreitas até à recuperação do doente.
Terapêutica interrompida
Se se esqueceu de tomar uma dose, tome-a assim que possível. No entanto se estiver perto da próxima dose, salte a dose esquecida, e continue como habitual.
Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Para comprimidos acondicionados em blister PVC/PVDC:
Não conservar acima de 25oC. Conservar na embalagem de origem
Para comprimidos em frascos HDPE:
Não conservar acima de 25oC. Manter o recipiente bem fechado
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.

Zotepina + Alimentos/Bebidas (Soja, fitinas, fitatos, oxalatos, taninos, pectinas)

Observações: N.D.
Interações: Os alimentos ingeridos com uma dose única oral de Zotepina atrasaram em 30% o aparecimento de Zotepina no plasma, mas não tiveram qualquer efeito sobre o grau de absorção de Zotepina; parece improvável que o efeito dos alimentos na administração crónica seja significativo.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Lidocaína + Zotepina

Observações: n.d.
Interações: Pode haver um risco aumentado de arritmia ventricular em doentes tratados simultaneamente com antipsicóticos que prolongam ou podem prolongar o intervalo QT (ex: pimozida, sertindole, olanzapina, quetiapina, zotepina), prenilamina, adrenalina (se injetado acidentalmente por via intravenosa) ou antagonistas 5-HT3 (exs: tropisetron, dolasetron).

Zotepina + Depressores do SNC

Observações: N.D.
Interações: Zotepina é um depressor do SNC; portanto, deve ser administrado com precaução em associação com outros medicamentos depressores do SNC.

Zotepina + Antipsicóticos

Observações: N.D.
Interações: Sabe-se que os antipsicóticos baixam o limiar da crise convulsiva e dados de vigilância pós-comercialização para Zotepina demonstraram um claro efeito pró-convulsivo dose-dependente. Caso seja necessário prescrever simultaneamente outros antipsicóticos em altas doses, o médico deverá estar consciente de que isso pode reduzir ainda mais o limiar da crise convulsiva.

Zotepina + Hipotensores

Observações: N.D.
Interações: Como Zotepina possui propriedades bloqueadoras a1 significativas, recomenda-se precaução na prescrição concomitante com agentes hipotensores, incluindo alguns agentes anestésicos. Pelo seu efeito sobre os recetores a-adrenérgicos, a administração simultânea de adrenalina pode levar a uma queda da pressão arterial.

Zotepina + Anestésicos

Observações: N.D.
Interações: Como Zotepina possui propriedades bloqueadoras a1 significativas, recomenda-se precaução na prescrição concomitante com agentes hipotensores, incluindo alguns agentes anestésicos. Pelo seu efeito sobre os recetores a-adrenérgicos, a administração simultânea de adrenalina pode levar a uma queda da pressão arterial.

Zotepina + Adrenalina

Observações: N.D.
Interações: Como Zotepina possui propriedades bloqueadoras a1 significativas, recomenda-se precaução na prescrição concomitante com agentes hipotensores, incluindo alguns agentes anestésicos. Pelo seu efeito sobre os recetores a-adrenérgicos, a administração simultânea de adrenalina pode levar a uma queda da pressão arterial.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zotepina + Metildopa

Observações: N.D.
Interações: Teoricamente os efeitos da alfa-metildopa, guanetidina e da clonidina podem ser reduzidos.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zotepina + Guanetidina

Observações: N.D.
Interações: Teoricamente os efeitos da alfa-metildopa, guanetidina e da clonidina podem ser reduzidos.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zotepina + Clonidina

Observações: N.D.
Interações: Teoricamente os efeitos da alfa-metildopa, guanetidina e da clonidina podem ser reduzidos.

Zotepina + Desipramina

Observações: N.D.
Interações: Num estudo com administração concomitante de desipramina não foi demonstrada qualquer interação clínica relativamente ao isoenzima CYP 2D6, sugerindo que é improvável que antidepressivos e outros medicamentos que dependem deste isoenzima interajam com Zotepina.

Zotepina + Antidepressores

Observações: N.D.
Interações: Num estudo com administração concomitante de desipramina não foi demonstrada qualquer interação clínica relativamente ao isoenzima CYP 2D6, sugerindo que é improvável que antidepressivos e outros medicamentos que dependem deste isoenzima interajam com Zotepina.

Zotepina + Fluoxetina

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea com fluoxetina ou diazepam origina um aumento das concentrações plasmáticas de zotepina e norzotepina, pelo que se recomenda precaução quando estes medicamentos forem prescritos em simultâneo.

Zotepina + Diazepam

Observações: N.D.
Interações: A administração simultânea com fluoxetina ou diazepam origina um aumento das concentrações plasmáticas de zotepina e norzotepina, pelo que se recomenda precaução quando estes medicamentos forem prescritos em simultâneo.

Zotepina + Lítio

Observações: N.D.
Interações: Não foram realizadas estudos específicos de interação clínica com anticonvulsivantes ou lítio.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017