Folheto Informativo - Informação para o utilizador
LANSOPRAZOL ALEXIN
Lansoprazol
LANSOPRAZOL ALEXIN

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

- Caso ainda tenha dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.

- Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detetar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

1. O que é LANSOPRAZOL ALEXIN e para que é utilizado



A substância ativa de Lansoprazol Alexin é o lansoprazol, um inibidor da bomba de protões. Os inibidores da bomba de protões reduzem a quantidade de ácido que o estômago produz.


O seu médico pode prescrever Lansoprazol Alexin para as seguintes indicações:

- Tratamento da úlcera gástrica e duodenal;

- Tratamento da inflamação do esófago (esofagite de refluxo);

- Prevenção da esofagite de refluxo;

- Tratamento da azia e da regurgitação ácida;

- Tratamento de infeções causadas pela bactéria Helicobacter pylori quando administrado em combinação com terapêutica antibiótica;

- Tratamento ou prevenção da úlcera gástrica ou duodenal em doentes sob tratamento continuado com AINEs [anti-inflamatórios não esteroides] (o tratamento com AINEs é usado contra a dor ou a inflamação);

- Tratamento da síndrome de Zollinger-Ellison.


O seu médico pode prescrever-lhe Lansoprazol Alexin para outra indicação ou numa dose diferente da descrita neste folheto informativo. Siga sempre as instruções do seu médico sobre como tomar o medicamento.

2. Antes de tomar LANSOPRAZOL ALEXIN



Não tome Lansoprazol Alexin

- se tem alergia (hipersensibilidade) ao lansoprazol ou a qualquer outro componente de Lansoprazol Alexin;

- se está a tomar um medicamento contendo a substância ativa atazanavir (utilizada no tratamento da SIDA pelo VIH).


Fale com o seu médico antes de tomar Lansoprazol Alexin:

- se já teve reações cutâneas após tratamento com um medicamento similar a Lansoprazol Alexin que reduza a acidez do estômago.

- se está previsto fazer uma análise específica ao sangue (Cromogranina A).


No caso de sofrer uma erupção cutânea, especialmente em áreas da pele expostas ao sol, fale com o seu médico o mais cedo possível, dado que poderá ter de interromper o seu tratamento com Lansoprazol Alexin. Lembre-se de mencionar igualmente quaisquer outros efeitos adversos, tal como dores nas articulações.


Tome especial cuidado com Lansoprazol Alexin

Informe o seu médico se tem uma doença hepática grave. O médico pode ter de ajustar a sua dosagem.


O seu médico pode efetuar ou ter efetuado um exame adicional chamado endoscopia de forma a diagnosticar a sua situação e/ou excluir uma doença maligna.


Se ocorrer diarreia durante o tratamento com Lansoprazol Alexin contacte o seu médico imediatamente, já que o Lansoprazol Alexin tem sido associado a um pequeno aumento de diarreia infeciosa.


Se o seu médico lhe deu Lansoprazol Alexin em conjunto com outros medicamentos destinados ao tratamento da infeção por Helicobacter pylori (antibióticos) ou com medicamentos anti-inflamatórios para tratar a dor ou uma doença reumática leia também com atenção os folhetos informativos desses medicamentos.


Se toma Lansoprazol Alexin há muito tempo (mais de 1 ano) o seu médico irá provavelmente mantê-lo sob vigilância regular. Deve relatar quaisquer sintomas novos ou excecionais e as circunstâncias, quando for ao seu médico.


Ao tomar Lansoprazol Alexin com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.


Em particular, informe o seu médico se estiver a tomar medicamentos contendo qualquer uma das seguintes substâncias ativas, já que o Lansoprazol Alexin pode afetar a forma como estes medicamentos atuam:

- cetoconazol, itraconazol, rifampicina (utilizados no tratamento de infeções);

- digoxina (utilizada no tratamento de problemas do coração);

- teofilina (utilizada para tratar a asma);

- tacrolímus (utilizado para prevenir a rejeição de transplantes);

- fluvoxamina (utilizada para tratar a depressão e outras doenças psiquiátricas);

- antiácidos (utilizados para tratar a azia ou a regurgitação ácida);

- sucralfato (utilizado para tratar as úlceras);

- hipericão (Hypericum perforatum) (utilizado para tratar a depressão ligeira).


Ao tomar Lansoprazol Alexin com alimentos e bebidas

Para obter um melhor resultado com o medicamento deve tomar Lansoprazol Alexin pelo menos 30 minutos antes das refeições.


Gravidez e aleitamento

Se está grávida, se amamenta ou se existe a possibilidade de estar grávida consulte o seu médico antes de tomar este medicamento.

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.


Condução de veículos e utilização de máquinas

Em doentes a tomar Lansoprazol Alexin ocorrem, por vezes, efeitos secundários como

tonturas, vertigens, fadiga e distúrbios visuais. Se tiver efeitos como estes deve ter cuidado, porque a sua capacidade de reação pode estar diminuída.


Você é o responsável por decidir se está em condições de conduzir veículos motores ou realizar outras tarefas que requerem uma concentração aumentada. A utilização de medicamentos, devido aos seus efeitos ou aos efeitos secundários, é um dos fatores que pode reduzir a sua capacidade para efetuar estas tarefas com segurança.

Noutras secções deste folheto pode encontrar descrições destes efeitos.


Leia toda a informação deste folheto informativo.

Consulte o seu médico, enfermeiro ou farmacêutico se tiver alguma dúvida.


Informações importantes sobre alguns componentes de Lansoprazol Alexin Lansoprazol Alexin contém sacarose. Se foi informado pelo seu médico de que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este medicamento.


Lansoprazol Alexin 30 mg contém também agente corante do grupo azo, amarelo sunset FCF (E110), que pode causar reacções alérgicas.

3. Como tomar LANSOPRAZOL ALEXIN



Tome a cápsula inteira com um copo de água. Se achar as cápsulas difíceis de tomar o seu médico pode aconselhar-lhe formas alternativas de tomar o medicamento. Não esmague nem mastigue as cápsulas, nem o seu conteúdo, porque isso impedirá que elas atuem da forma adequada.


Se toma Lansoprazol Alexin uma vez ao dia, tente tomá-lo à mesma hora todos os dias. Poderá obter melhores resultados se tomar Lansoprazol Alexin logo de manhã.

Se toma Lansoprazol Alexin duas vezes ao dia, deve tomar a primeira dose de manhã e a segunda à noite.


A dose de Lansoprazol Alexin depende da sua situação. Abaixo são apresentadas as doses habituais de Lansoprazol Alexin para adultos. Por vezes, o seu médico poderá prescrever-lhe uma dose diferente e dir-lhe-á quanto tempo dura o tratamento.


Tratamento da azia e da regurgitação ácida: uma cápsula de 15 ou 30 mg, todos os dias, durante 4 semanas. Se os sintomas persistirem informe o seu médico. Se os sintomas não aliviarem em 4 semanas, contacte o seu médico.


Tratamento da úlcera duodenal: uma cápsula de 30 mg, todos os dias, durante 2 semanas.


Tratamento da úlcera gástrica: uma cápsula de 30 mg, todos os dias, durante 4 semanas.


Tratamento da inflamação no esófago (esofagite de refluxo): uma cápsula de 30 mg, todos os dias, durante 4 semanas.


Prevenção a longo prazo da esofagite de refluxo: uma cápsula de 15 mg, todos os dias, o seu médico pode ajustar a dose a uma cápsula de 30 mg, todos os dias.


Tratamento da infeção por Helicobacter pylori: A dose habitual é uma cápsula de 30 mg em combinação com dois antibióticos diferentes de manhã e uma cápsula de 30 mg em combinação com dois antibióticos diferentes à noite. Normalmente, o tratamento é feito todos os dias, durante 7 dias.


As combinações recomendadas de antibióticos são:

- 30 mg de Lansoprazol Alexin com 250-500 mg de claritromicina e 1000 mg de amoxicilina.

- 30 mg de Lansoprazol Alexin com 250 mg de claritromicina e 400-500 mg de metronidazol.


Se está a ser tratado a uma infeção porque tem uma úlcera, é pouco provável que a sua úlcera volte se a infeção for tratada com sucesso. Para que o medicamento atue da melhor forma, tome-o na altura certa e não omita uma dose.


Tratamento da úlcera gástrica ou duodenal em doentes sob tratamento continuado com AINEs: uma cápsula de 30 mg, todos os dias, durante 4 semanas.


Prevenção da úlcera gástrica ou duodenal em doentes sob tratamento continuado com AINEs: uma cápsula de 15 mg, todos os dias, o seu médico pode ajustar a dose a uma cápsula de 30 mg, todos os dias.


Síndrome de Zollinger-Ellison: A dose inicial recomendada é de duas cápsulas de 30 mg, todos os dias, posteriormente, dependendo da sua resposta ao Lansoprazol Alexin o seu médico decidirá qual a dose mais adequada para si.


Lansoprazol Alexin não deve ser administrado a crianças.


Tome o medicamento exatamente como o seu médico lhe indicou. Confirme com ele se não tem a certeza de como tomar o medicamento.


Se tomar mais Lansoprazol Alexin do que deveria

Se tomar mais Lansoprazol Alexin do que deveria, procure aconselhamento médico rapidamente ou consulte rapidamente o Centro de Informação Antivenenos (CIAV) (telefone: 808 250 143).


Caso se tenha esquecido de tomar Lansoprazol Alexin

Se se esqueceu de tomar uma dose, tome-a assim que se lembrar, a menos que esteja próximo da altura de tomar a próxima dose. Se isto acontecer salte a dose em falta e tome as restantes cápsulas normalmente.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma cápsula que se esqueceu de tomar.


Se parar de tomar Lansoprazol Alexin

Não pare mais cedo o tratamento só porque os seus sintomas melhoraram. A sua situação pode não ter sido completamente tratada e pode recorrer se não completar o tratamento.


Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

4. Efeitos secundários possíveis



Como os demais medicamentos, Lansoprazol Alexin pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.


Os seguintes efeitos secundários são frequentes (ocorrem em mais de 1 em 100 doentes):

- dor de cabeça, tonturas;

- diarreia, obstipação, dores de estômago, mal-estar, flatulência, boca ou garganta seca ou inflamada;

- erupção na pele, comichão;

- alterações nos valores das análises da função hepática;

- fadiga.


Os seguintes efeitos secundários são pouco frequentes (ocorrem em menos de 1 em 100 doentes):

- depressão;

- dor nas articulações ou nos músculos;

- retenção de líquidos ou inchaço;

- alterações nas contagens das células sanguíneas.


Os seguintes efeitos secundários são raros (ocorrem em menos de 1 em 1000 doentes):

- febre;

- inquietação, sonolência, confusão, alucinações, insónia, perturbações visuais, vertigens;

- alteração do paladar, perda de apetite, língua inflamada (glossite);

- reações na pele como sensação de queimadura ou picadas, contusão, vermelhidão e excesso de suor;

- sensibilidade à luz;

- queda de cabelo;

- sensação de formigueiro na pele (parestesia), tremor;

- anemia (palidez);

- problemas nos rins;

- pancreatite;

- inflamação no fígado (pode aparecer uma coloração amarela na pele e nos olhos);

- inchaço do peito nos homens, impotência;

- candidíase (infeção fúngica, pode afetar a pele ou a mucosa);

- angioedema;


Deve consultar o seu médico imediatamente se apresentar sintomas de angioedema, como inchaço na face, língua ou faringe, dificuldade de engolir, urticária e dificuldade em respirar.


Os seguintes efeitos secundários são muito raros (ocorrem em menos de 1 em 10.000 doentes):

- reações de hipersensibilidade graves incluindo choque. Os sintomas de uma reacção de hipersensibilidade podem incluir febre, erupção, inchaço e, por vezes, uma queda da pressão arterial;

- inflamação da boca (estomatite);

- colite (inflamação do intestino);

- alterações nos valores de análises como o sódio, o colesterol e os níveis de triglicéridos;

- reações na pele muito graves com vermelhidão, ampolas, inflamação grave e perda de pele;

- muito raramente Lansoprazol Alexin pode causar uma redução no número de células brancas do sangue e a sua resistência a infeções pode ser diminuída. Se tiver uma infeção com sintomas como febre e deterioração grave do seu estado geral, ou febre com sintomas locais de infeção como garganta/faringe/boca ferida ou problemas urinários, deve consultar o seu médico imediatamente.

Será feita uma análise ao sangue para avaliar uma possível redução das células brancas do sangue (agranulocitose).


Efeitos secundários de frequência desconhecida:

erupções cutâneas, possivelmente acompanhadas de dores nas articulações.


Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5. Como conservar LANSOPRAZOL ALEXIN



Não conservar acima de 30ºC. Conservar na embalagem de origem.


Manter fora do alcance e da vista das crianças.


Não utilize Lansoprazol Alexin após o prazo de validade impresso no frasco ou blister e na embalagem exterior. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.


Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente

6. Outras informações



Qual a composição de Lansoprazol Alexin

- A substância ativa é lansoprazol

- Os outros componentes são:

Grânulos: Microgrânulos de sacarose e amido de milho, laurilsulfato de sódio, hipromelose, talco, dióxido de titânio (E171), macrogol 6000, polissorbato 80, copolímero do ácido metacrílico-etilacrilato, meglumina e manitol.

Invólucro das cápsulas de Lansoprazol Alexin 15 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171), indigotina (E132), óxido de ferro amarelo (E172).


Invólucro das cápsulas de Lansoprazol Alexin 30 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171), azul patenteado V (E131), amarelo sunset FCF (E110), óxido de ferro amarelo (E172).


Qual o aspeto de Lansoprazol Alexin e conteúdo da embalagem

Lansoprazol Alexin apresenta-se na forma de cápsulas gastrorresistentes, acondicionadas em embalagens de 10, 30 e 60 cápsulas.


É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.


Titular da Autorização de Introdução no Mercado

FARMOZ - Sociedade Tecnico-Medicinal, S.A.

Rua da Tapada Grande, 2

Abrunheira

2710-089 Sintra


Fabricante

15 mg e 30 mg

West Pharma – Produções Especialidades Farmacêuticas, S.A.

Rua João de Deus, n.º 11, Venda Nova

2700 – 486 Amadora


30 mg

Atlantic Pharma – Produções Farmacêuticas, S.A.

Rua da Tapada Grande, n.º 2; Abrunheira,

2710-089 Sintra

Copyright 2020 Tupam Editores SA ## 146