Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

Levotiroxina sódica

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
Levotiroxina sódica é a principal hormona derivada da glândula tiroide.

A tiroxina é sintetizada via iodação da tirosina (monoiodotirosina) e o acoplamento de iodotirosinas (diiodotirosina) na tireoglobulina.

A tiroxina é libertada da tiroglobulina por proteólise e segregada para o sangue.

A tiroxina é perifericamente desiodada para formar triiodotironina que exerce um amplo espetro de efeitos estimuladores sobre o metabolismo celular.
Usos comuns
A Levotiroxina é usada para tratar o hipotireoidismo, uma doença em que a glândula tiroide não produz hormona tireoideana suficiente.

A Levotiroxina também é usado para ajudar a diminuir o tamanho das glândulas da tiroide aumentadas (também chamado de bócio) e para tratar o cancro de tiroide.

A Levotiroxina só está disponível sob prescrição médica.
Tipo
Molécula pequena.
Indicações
Hipotiroidismo.
Classificação CFT

08.03 : Hormonas da tiroide e antitiroideus

Mecanismo de ação
A Levotiroxina atua como a hormona tiroidiana endógena tiroxina (T4, um derivado da tirosina tetra-iodado).

No fígado e nos rins, a T4 é convertida em T3, o metabolito ativo.

A fim de aumentar a solubilidade, os hormonas da tiroide unem-se às proteínas da hormona da tiroide, a globulina fixadora da tiroxina, e pré-albumina de ligação da tiroxina (transtirretina).

O transporte e ligação aos recetores de hormonas tireoidianas no citoplasma e no núcleo, correm em seguida.

Agindo como um substituto para a tiroxina natural, os sintomas de deficiência de tiroxina são aliviados.

Sendo a Levotiroxina uma substância de margem terapêutica estreita, ou seja, os limites entre a dose terapêutica e a tóxica ou inadequada são muito curtos e podendo advir consequências clínicas de um tratamento excessivo ou inadequado, a sua utilização ou a troca por um medicamento similar deve ser sempre acompanhada pelo médico.
Posologia orientativa
Está dependente da idade e da resposta clínica do doente.

A Tiroxina sódica (Levotiroxina sódica) é a hormona de escolha na terapêutica de manutenção.

Tem uma absorção rápida, com um t1/2 de 6 a 7 dias, facto que permite que a sua atividade possa persistir por semanas, mesmo após a suspensão do tratamento.

A dose inicial não deve exceder 100 μg/dia e nos idosos ou doentes com problemas cardíacos não deve exceder 25 a 50 μg, de preferência antes do pequeno almoço.

Estas doses podem aumentar-se a intervalos de pelo menos 4 semanas até se atingirem as doses de manutenção.

A dose única diária, no adulto, para manutenção, é de 100 a 200 μg, para substituição hormonal no hipotiroidismo.

Nas crianças a dose diária é de 5 μg/kg até ao máximo de 100 μg/dia; a idade da criança pode interferir neste valor e se até aos 5 anos não se deve ultrapassar os 100 μg/dia, até aos 12 pode atingir-se os 200 μg/dia.

Estes máximos estão contudo dependentes da resposta clínica e dos resultados do doseamento plasmático da Tiroxina (TH) e da hormona estimulante da tiroide (TSH).

A liotironina tem uma ação terapêutica semelhante à da Tiroxina mas é mais rapidamente metabolizada; 20 μg de liotironina são equivalentes a 100 μg de Tiroxina.

O t1/2 é de menos de 2 dias mas a resposta biológica consegue-se poucas horas após absorção, pelo que é usada nas situações de hipotiroidismo grave quando se deseja uma resposta rápida.
Administração
Via oral.

Engula os comprimidos com um copo de água.

Deve tomar Levotiroxina sódica de preferência de manhã antes do pequeno-almoço.
Contraindicações
Tirotoxicose e enfarte agudo do miocárdio.
Efeitos indesejáveis/adversos
A sobredosagem pode provocar angina de peito, arritmias, palpitações, taquicardia, cãibras musculares, diarreia, vómitos, excitabilidade, insónia, enxaqueca, perda de peso e fraqueza muscular.
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:Controlar a concentração sérica materna de tireotrofina e ajustar a dosagem se necessário. Sem risco fetal; seguro para utilizar na grávida.
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Pode interferir com o diagnóstico neonatal de hipotiroidismo.
Precauções gerais
É muito importante que o médico verifique o seu progresso em visitas regulares. Isso permitirá que o médico verifique se o medicamento está funcionando corretamente e para decidir se deve continuar a tomá-lo. Serão necessários exames de sangue e urina para verificar se há efeitos indesejáveis.

A Levotiroxina não deve ser utilizada para tratamento da obesidade ou com a finalidade de perder peso. A Levotiroxina é ineficaz para a redução de peso e, quando tomada em quantidades superiores às recomendadas, pode causar problemas de saúde mais sérios.
Cuidados com a dieta
Os produtos de soja podem reduzir a absorção deste medicamento.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência, ou ligue para o Centro de Intoxicações.

Sintomas
A sobredosagem apresenta-se, geralmente, sob a forma de envenenamento agudo com caraterísticas de crise tireotóxica, possivelmente limitado a taquicardia consoante a dose e que ocorre entre o 3º e o 5º dia.

Tratamento
Neste caso, o tratamento com Levotiroxina deve ser suspenso durante vários dias.
Tratamento da sobredosagem: betabloqueantes, sedativos.
Terapêutica interrompida
Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Caso se tenha esquecido de tomar diversas doses, aconselhe-se com o seu Médico
Cuidados no armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não conservar acima de 25 ºC.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Alimentos/Bebidas (Soja, fitinas, fitatos, oxalatos, taninos, pectinas)

Observações: n.d.
Interações: Produtos de soja: Os produtos de soja podem reduzir a absorção intestinal de levotiroxina. Foi registado, em crianças, um aumento no nível sérico de TSH quando lhes era dada uma dieta contendo soja e tratamento com levoritoxina para hipotiroidismo congénito. Podem ser necessárias doses anormalmente elevadas de levotiroxina para atingir níveis normais de T4 e TSH. Durante e após a cessação de uma dieta que contenha soja, é necessária a atenta monitorização dos níveis séricos de T4 e TSH; pode ser necessário um ajuste na dose de levotiroxina.
Usar com precaução

Sulfato de magnésio + Sulfato de potássio + Sulfato de sódio + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: O efeitos terapêuticos dos medicamentos orais tomados de forma regular com janela terapêutica estreita ou semivida curta (por exemplo contracetivos orais, antiepiléticos, antidiabéticos, antibióticos, levotiroxina, digoxina...) podem ser particularmente afetados. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Hipoglicemiantes

Observações: n.d.
Interações: Agentes antidiabéticos: A levotiroxina pode reduzir o efeito anti-hiperglicémico dos antidiabéticos. Logo, os níveis de glicose no sangue devem ser regularmente monitorizados em doentes com diabetes, especialmente no início da terapêutica de hormona da tiroide. A dosagem anti-hiperglicémica deve ser ajustada conforme necessário. - Hipoglicemiantes
Usar com precaução

Linaclotida + Levotiroxina sódica

Observações: Não foram realizados estudos de interação medicamentosa. A linaclotida raramente é detetável no plasma após a administração das doses clínicas recomendadas e estudos in vitro demonstraram que a linaclotida não é um substrato nem um inibidor/indutor do sistema enzimático do citocromo P450 e não interage com um conjunto de transportadores de efluxo e de captação comuns.
Interações: A prescrição de medicamentos absorvidos no trato intestinal com um índice terapêutico estreito, como a levotiroxina, deverá ser feita com precaução, uma vez que a sua eficácia pode ser reduzida. - Levotiroxina sódica
Não recomendado/Evitar

Ácido acetilsalicílico + Paracetamol + Cafeína + Levotiroxina sódica

Observações: Não existem interações de segurança relevantes entre o ácido acetilsalicílico e o paracetamol.
Interações: Cafeína e Simpaticomiméticos ou levotiroxina: Esta associação pode aumentar o efeito de taquicardia devido a efeitos sinérgicos. Assim, o uso concomitante não é recomendado. - Levotiroxina sódica
Sem efeito descrito

Colessevelam + Levotiroxina sódica

Observações: O Colessevelam pode afetar a biodisponibilidade de outros medicamentos. Por conseguinte, quando não é possível excluir a ocorrência de uma interação medicamentosa com um medicamento administrado concomitantemente para o qual seriam clinicam ente importantes pequenas variações no nível terapêutico, Colessevelam deve ser administrado pelo menos quatro horas antes ou pelo menos quatro horas após a administração da medicação concomitante para minimizar o risco de redução da absorção dessa medicação. Para medicamentos concomitantes que exijam administração através de doses divididas, deve referir-se que a dose necessária de Colessevelam pode ser tomada uma vez por dia. Quando são administrados medicamentos nos quais as alterações nos níveis sanguíneos podem ter um impacto clinicamente significativo na segurança ou na eficácia, os médicos devem considerar a monitorização dos respetivos níveis séricos ou dos efeitos. Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Num estudo de interação em voluntários saudáveis, quando administrado quer concomitantemente quer após 1 hora, o Colessevelam reduziu a AUC e a Cmáx de levotiroxina. Não se observou interação quando o Colessevelam foi administrado pelo menos quatro horas após a levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Imatinib + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Em doentes que sofreram tiroidectomia a receber levotiroxina, a exposição plasmática à levotiroxina pode ser diminuída quando se coadministra imatinib. Recomenda-se, portanto, precaução. No entanto, o mecanismo da interação observada é atualmente desconhecido. - Levotiroxina sódica
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Acetato de cálcio + Carbonato de magnésio + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: A combinação de carbonato de magnésio, e hidróxido de alumínio com levotiroxina, pode causar um aumento da absorção de levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Hidróxido de alumínio + Hidróxido de magnésio + Simeticone + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Os antiácidos contendo alumínio podem impedir a absorção adequada de outros medicamentos tais como antagonistas H2, atenolol, cefedinir, cefpodoxima, bifosfonatos, cloroquina, cetoconazol, ciclinas, diflunisal, digoxina, etambutol, fluoroquinolonas, fluoreto de sódio, glucocorticoides, indometacina, isoniazida, polistireno sulfonato de sódio (kayexalate), levotiroxina, lincosamidas, metoprolol, neurolépticos, fenotiazinas, penicilamina, propranolol, rosuvastatina, sais de ferro. Recomenda-se alternar a administração destes medicamentos e do antiácido com pelo menos 2 horas de intervalo (4 horas para as fluoroquinolonas) a fim de minimizar a ocorrência de interações indesejáveis. - Levotiroxina sódica
Sem efeito descrito

Ustecinumab + Levotiroxina sódica

Observações: Não foram realizados estudos de interação em humanos.
Interações: Na análise farmacocinética populacional dos estudos de fase III, foi avaliado o efeito dos medicamentos concomitantes mais frequentemente utilizados em doentes com psoríase (incluindo paracetamol, ibuprofeno, ácido acetilsalicílico, metformina, atorvastatina, levotiroxina) sobre a farmacocinética do ustecinumab. Não se verificaram indícios de interação com estes medicamentos concomitantes. A base para esta análise consistiu no facto de, pelo menos, 100 doentes (> 5% da população estudada) terem sido tratados concomitantemente com estes medicamentos durante, pelo menos, 90% do período de estudo. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Rifampicina + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: A rifampicina tem propriedades indutoras de enzimas hepáticas e pode acelerar a metabolização e, portanto, reduzir a actividade de vários fármacos, tais como: Antiepilépticos, anticoagulantes orais, antiestrogéneos, antipsicóticos, antifúngicos, anti-retrovirais, barbitúricos, benzodiazepinas, bloqueadores da entrada de cálcio, cloranfenicol, claritromicina, clorofibrato, beta-bloqueantes, corticosteróides, agentes imunomoduladores (ciclosporina), digitálicos, antiarrítmicos (quinidina), contracetivos, hipoglicemiantes orais, dapsona, doxiciclina, estrogéneos, fluoroquinolonas, gestrinona, levotiroxina, irinotecano, metadona, praziquantel, progestina, riluzol, antagonistas do receptores 5-HT3, estatinas metabolizadas pelo CYP3A4, telitromicina, teofilina, tiazoledinedionas, losartan, antidepressivos triciclicos enarcóticos analgésicos. Pode tornar-se necessário ajustar a dosagem destes fármacos, no início e no fim do tratamento com rifampicina. - Levotiroxina sódica
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tolazamida + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores dos canais de cálcio (por exemplo, diltiazem), corticosteróides (por exemplo, prednisona), descongestionantes (por exemplo, pseudoefedrina), diazóxido, diuréticos (por exemplo, furosemida, hidroclorotiazida), estrogénios, contraceptivos hormonais (por exemplo, comprimidos anticoncepcionais), isoniazida, niacina, Fenotiazinas (por exemplo, prometazina), fenitoína, rifamicinas (por exemplo, rifampicina), simpaticomiméticos (por exemplo, albuterol, epinefrina, terbutalina) ou suplementos de tireóide (por exemplo, levotiroxina), porque podem diminuir a eficácia da tolazamida, resultando em níveis elevados de açúcar no sangue. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Colestilano + Levotiroxina sódica

Observações: Os estudos de interação for am realizados em voluntários saudáveis. Não foram realizados estudos de interação a doses diárias >9 g, não sendo por isso possível excluir a ocorrência de efeitos de interação mais significativos a doses mais elevadas de Colestilano.
Interações: Devido ao elevado potencial de ligação in vitro entre Colestilano e a levotiroxina, recomenda-se uma monitorização mais rigorosa dos níveis da hormona tireoestimulante (TSH) em doentes que se encontram a receber Colestilano e levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Fluindiona + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precauções de utilização: Hormonas da tiróide: Levotiroxina, tiroxina, tiratricol: Aumento do efeito anticoagulante oral e risco de hemorragia (aumento do metabolismo de fatores complexos de protrombina). Monitorização mais frequente do INR. Ajustar a dosagem de anticoagulante oral durante o início do tratamento de hipotireoidismo ou sobredosagem hormona da tiróide. Esse controlo não é necessário em pacientes em terapia de substituição da tiróide estável. - Levotiroxina sódica
Sem efeito descrito

Bexaroteno + Levotiroxina sódica

Observações: Não se efectuaram quaisquer estudos formais para avaliar as interações medicamentosas com bexaroteno.
Interações: Um a análise populacional das concentrações plasmáticas de bexaroteno nos doentes com CTCL indicou que a administração concomitante de gemfibrozil resultou em aumentos substanciais das concentrações plasmáticas de bexaroteno. Desconhece-se o mecanismo desta interacção. Em condições semelhantes, as concentrações de bexaroteno não foram afectadas pela administração concomitante de atorvastatina ou levotiroxina. Não se recomenda a administração concomitante de gemfibrozil com bexaroteno. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Carbonato de cálcio + Carbonato de magnésio + Levotiroxina sódica

Observações: Assim é conveniente tomar Carbonato de cálcio / Carbonato de magnésio separadamente de outro medicamento, fazendo um intervalo de 1-2 horas entre eles.
Interações: A alteração da acidez gástrica causada, por exemplo, pela ingestão de antiácidos pode afetar a absorção de alguns medicamentos se usados simultaneamente. Foi demonstrado que antiácidos contendo cálcio e magnésio podem formar complexos com certas substâncias, como, por exemplo, antibióticos (tetraciclinas, quinolonas), glicosídeos cardíacos, como, por exemplo, a digoxina e levotiroxina, e eltrombopag, resultando numa diminuição da absorção. Tal deve ser tido em conta quando é considerada a administração concomitante. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Carbonato de lantânio + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Foi demonstrado que os fixadores de fosfatos (incluindo o Carbonato de lantânio) reduzem a absorção da levotiroxina. Por conseguinte, a terapêutica hormonal de substituição da tiroide não deve ser tomada no espaço de 2 horas antes ou após a toma do Carbonato de lantânio e recomenda-se uma monitorização atenta dos valores da TSH em doentes tratados com os dois medicamentos. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Sevelâmero + Levotiroxina sódica

Observações: Diálise: Não foram realizados estudos de interação em doentes submetidos a diálise.
Interações: Levotiroxina: Durante a experiência após a comercialização, foram notificados casos muito raros de níveis aumentados da hormona estimulante da tiroide (TSH) em doentes aos quais foi coadministrado cloridrato de sevelâmero e levotiroxina. Por conseguinte, recomenda-se uma monitorização mais atenta dos níveis de TSH em doentes a receber ambas as medicações. - Levotiroxina sódica
Sem efeito descrito

Pilocarpina + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Enquanto não se realizarem estudos formais de interações medicamentosas, foram utilizados os seguintes medicamentos concomitantemente em pelo menos 10% dos doentes num ou em ambos os estudos de eficácia na síndrome de Sjögren: Ácido acetilsalicílico, lágrimas artificiais, cálcio, estrogénios conjugados, sulfato de hidroxicloroquina, ibuprofeno, levotiroxina de sódio, acetato de medroxiprogesterona, metotrexato, multivitaminas, naproxeno, omeprazol, paracetamol e prednisolona. Não existiram notificações de toxicidade farmacológica durante qualquer estudo de eficácia. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Polistireno sulfonato de cálcio + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Usar com precaução: Levotiroxina: Possível diminuição da absorção da levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Oxihidróxido sucroférrico + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Este medicamento quase não é absorvido a partir do trato digestivo. Embora o potencial de interações com medicamentos pareça ser baixo, para o tratamento concomitante com medicamentos com uma janela terapêutica estreita, o efeito clínico e os acontecimentos adversos devem ser monitorizados, no início ou durante o ajuste da dose, quer deste medicamento, quer do medicamento concomitante, ou o médico deve considerar a medição dos níveis sanguíneos. Ao administrar qualquer medicamento que se saiba interagir com ferro (como alendronato e doxiciclina) ou que tenha a potencialidade de interagir com este medicamento (baseado apenas em estudos in vitro, como: cefalexina, levotiroxina, doxercalciferol e paricalcitol), este medicamento deve ser tomado pelo menos uma hora antes ou duas horas depois deste medicamento. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Dasabuvir + Levotiroxina sódica

Observações: Os estudos de interação medicamentosa só foram realizados em adultos. Dasabuvir deve ser sempre administrado em conjunto com ombitasvir/paritaprevir/ritonavir. Quando coadministrados, exercem efeitos recíprocos um sobre o outro. Por conseguinte, o perfil de interação dos compostos tem de ser considerado como uma associação.
Interações: Interações farmacocinéticas: Potencial para Dasabuvir afetar a farmacocinética de outros medicamentos: Os estudos de interação medicamentosa in vivo avaliaram o efeito global do tratamento de associação, incluindo o ritonavir. Transportadores específicos e as enzimas metabolizadoras que são afetados pelo dasabuvir quando associado a ombitasvir/paritaprevir/ritonavir. Medicamentos metabolizados pela glucuronidação (UGT1A1): O dasabuvir é um inibidor do UGT1A1 in vivo. A coadministração de dasabuvir com medicamentos que são metabolizados principalmente pelo UGT1A1 resulta num aumento das concentrações plasmáticas desses medicamentos; recomenda-se monitorização clínica de rotina para medicamentos com janela terapêutica estreita (ou seja levotiroxina). Também se verificou que in vitro o dasabuvir inibe UGT1A4, 1A6 e UGT2B7 intestinal em concentrações relevantes in vivo. Interações entre Dasabuvir com ombitasvir/paritaprevir/ritonavir e outros medicamentos: HORMONAS DA TIROIDE: Levotiroxina: Administrado com: Dasabuvir+ombitasvir/paritaprevir/ritonavir Mecanismo: Inibição de UGT1A1por paritaprevir, ombitasvir e dasabuvir. Não estudado. Monitorização clínica e ajuste de dose podem ser necessários para a levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Ombitasvir + Paritaprevir + Ritonavir + Levotiroxina sódica

Observações: Os estudos de interação medicamentosa só foram realizados em adultos. Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir foi administrado em doses múltiplas em todos os estudos de interação medicamentosa, com exceção dos estudos de interação medicamentosa com carbamazepina, gemfibrozil e cetoconazol.
Interações: Interações farmacocinéticas: Potencial para Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir afetar a farmacocinética de outros medicamentos: Os estudos de interação medicamentosa in vivo avaliaram o efeito global do tratamento de associação, incluindo o ritonavir. Medicamentos metabolizados pela glucuronidação (UGT1A1): O paritaprevir, o ombitasvir e o dasabuvir são inibidores do UGT1A1. A coadministração de Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir com medicamentos que são metabolizados principalmente pelo UGT1A1 resulta num aumento das concentrações plasmáticas desses medicamentos; recomenda-se monitorização clínica de rotina para medicamentos com janela terapêutica estreita (ou seja levotiroxina). Interações entre Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir e outros medicamentos HORMONAS DA TIROIDE: Levotiroxina: Mecanismo: Inibição de UGT1A1por paritaprevir, ombitasvir e dasabuvir. Administrado com: Ombitasvir/Paritaprevir/Ritonavir com ou sem dasabuvir. Não estudado. Monitorização clínica e ajuste de dose podem ser necessários para a levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Enzalutamida + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Grupos de medicamentos que podem ser afetados incluem, mas não se limitam a: Medicamentos para a tiroide (ex. levotiroxina): O potencial de indução total da enzalutamida pode só surgir cerca de 1 mês após o início do tratamento, quando se atingem as concentrações plasmáticas do estado estacionário, embora alguns efeitos da indução possam ser aparentes mais cedo. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Orlistato + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: Levotiroxina: Pode ocorrer hipotiroidismo e/ou diminuição do controlo do hipotiroidismo. O mecanismo, embora não provado, pode envolver a diminuição da absorção de sais de iodo e/ou levotiroxina. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Isoniazida + Pirazinamida + Rifampicina + Levotiroxina sódica

Observações: A rifampicina possui propriedades indutoras enzimáticas, incluindo a indução da delta aminoácido levulínico sintetase. Têm sido registados casos isolados de exacerbação de porfíria com a administração de rifampicina.
Interações: O Isoniazida/Pirazinamida/Rifampicina possui propriedades indutoras das enzimas hepáticas e pode reduzir a actividade de um certo número de fármacos, incluindo anticoagulantes, anticonvulsivantes, anti-estrogénios, antipsicóticos, antiarrítmicos (quinidina), antifúngicos, antirretrovirais, barbitúricos, benzodiazepinas e seus derivados, betabloqueantes, bloqueadores da entrada de cálcio, cloranfenicol, claritromicina, corticosteróides, agentes imunossupressores (ciclosporina) digitálicos, clofibrato, doxiciclina, estrogéneos, fluoroquinolonas, gestrinona, irinotecano, losartan, metadona, praziquantel, progestina, riluzol, antagonistas selectivos dos receptores 5- HT3, estatinas metabolizadas pelo citocromo CYP3A4, telitromicina, tiazolidinedionas, antidepressivos tricíclicos, contracetivos orais, hipoglicemiantes orais, antipsicóticos (haloperidol), levotiroxina, teofilina, dapsona, narcóticos e analgésicos. Pode ser necessário ajustar a dose destes fármacos se forem administrados concomitantemente com Isoniazida/Pirazinamida/Rifampicina. As doentes a fazer contracetivos orais devem ser aconselhadas a mudar o método contracetivo para um método não-hormonal durante a terapêutica com Isoniazida/Pirazinamida/Rifampicina. A diabetes pode também tornar-se mais difícil de controlar. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Isoniazida + Rifampicina + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: RIFAMPICINA: A rifampicina possui propriedades indutoras das enzimas hepáticas e pode reduzir a actividade de um certo número de fármacos, incluíndo os anticoagulantes orais, anticonvulsivos, anti-estrogénios, antipsicóticos, corticosteróides, agentes imunomoduladores (ciclosporina), digitálicos, contracetivos orais, hipoglicemiantes orais, dapsona, analgésicos narcóticos, metadona, barbitúricos, losartan, bloqueadores beta-adrenérgicos, clorofibrato, progestina, teofilina, cloranfenicol, claritromicina, antiarrítmicos (ex. disopiramida, mexiletina, quinidina), bloqueadores da entrada de cálcio, antifúngicos, benzodiazepinas, antidepressivos tricíclicos, antirretrovirais, estrogéneos, gestrinona, fluoroquinolonas, levotiroxina, irinotecano, praziquantel, riluzol, antagonistas selectivos dos receptores 5-HT3, estatinas metabolizadas pelo citocromo CYP3A4, telitromicina, tiazolidinedionas e doxiciclina. Pode ser necessário ajustar a dose destes fármacos se forem administrados concomitantemente com a rifampicina. - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Patirómero + Levotiroxina sódica

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de Patirómero demonstrou redução da biodisponibilidade de ciprofloxacina, levotiroxina e metformina. Porém, não existiu interação quando Patirómero e estes medicamentos foram tomados com um intervalo de 3 horas entre si. - Levotiroxina sódica
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)

Observações: n.d.
Interações: Derivados de cumarina: A levotiroxina pode potenciar o efeito dos derivados de cumarina devido ao deslocamento da ligação a proteínas plasmáticas. Com tratamento concomitante é necessária a monitorização regular da coagulação sanguínea e a dosagem de anticoagulante deve ser ajustada conforme necessário (redução da dose). - Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)
Não recomendado/Evitar

Levotiroxina sódica + Resinas permutadoras de iões

Observações: n.d.
Interações: Resinas de troca iónica: As resinas de troca iónica, como a colestiramina, colestipol, sais de cálcio e sais de sódio do ácido sulfónico poliestireno, inibem a absorção de levotiroxina não devendo, por isso, ser administradas nas 4 a 5 horas anteriores à toma de levotiroxina sódica. - Resinas permutadoras de iões
Não recomendado/Evitar

Levotiroxina sódica + Colestiramina

Observações: n.d.
Interações: Resinas de troca iónica: As resinas de troca iónica, como a colestiramina, colestipol, sais de cálcio e sais de sódio do ácido sulfónico poliestireno, inibem a absorção de levotiroxina não devendo, por isso, ser administradas nas 4 a 5 horas anteriores à toma de levotiroxina sódica. - Colestiramina
Não recomendado/Evitar

Levotiroxina sódica + Colestipol

Observações: n.d.
Interações: Resinas de troca iónica: As resinas de troca iónica, como a colestiramina, colestipol, sais de cálcio e sais de sódio do ácido sulfónico poliestireno, inibem a absorção de levotiroxina não devendo, por isso, ser administradas nas 4 a 5 horas anteriores à toma de levotiroxina sódica. - Colestipol
Não recomendado/Evitar

Levotiroxina sódica + Cálcio

Observações: n.d.
Interações: Resinas de troca iónica: As resinas de troca iónica, como a colestiramina, colestipol, sais de cálcio e sais de sódio do ácido sulfónico poliestireno, inibem a absorção de levotiroxina não devendo, por isso, ser administradas nas 4 a 5 horas anteriores à toma de levotiroxina sódica. - Cálcio
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Alumínio

Observações: n.d.
Interações: Os agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio, medicamentos que contêm ferro, carbonato de cálcio: A absorção de levotiroxina pode ser reduzida através da toma concomitante de agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio (antiácidos, sucralfato), medicamentos que contêm ferro e carbonato de cálcio. A levotiroxina sódica deve ser tomada pelo menos duas horas antes destas medicações. - Alumínio
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Ferro

Observações: n.d.
Interações: Os agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio, medicamentos que contêm ferro, carbonato de cálcio: A absorção de levotiroxina pode ser reduzida através da toma concomitante de agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio (antiácidos, sucralfato), medicamentos que contêm ferro e carbonato de cálcio. A levotiroxina sódica deve ser tomada pelo menos duas horas antes destas medicações. - Ferro
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Carbonato de cálcio

Observações: n.d.
Interações: Os agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio, medicamentos que contêm ferro, carbonato de cálcio: A absorção de levotiroxina pode ser reduzida através da toma concomitante de agentes de ligação de ácido gástrico que contêm alumínio (antiácidos, sucralfato), medicamentos que contêm ferro e carbonato de cálcio. A levotiroxina sódica deve ser tomada pelo menos duas horas antes destas medicações. - Carbonato de cálcio
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Propiltiouracilo

Observações: n.d.
Interações: Propiltiouracilo, glucocorticoides e bloqueadores de recetores beta: Estas substâncias inibem a conversão de T4 a T3. - Propiltiouracilo
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Glucocorticoides

Observações: n.d.
Interações: Propiltiouracilo, glucocorticoides e bloqueadores de recetores beta: Estas substâncias inibem a conversão de T4 a T3. - Glucocorticoides
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)

Observações: n.d.
Interações: Propiltiouracilo, glucocorticoides e bloqueadores de recetores beta: Estas substâncias inibem a conversão de T4 a T3. - Bloqueadores beta-adrenérgicos (betabloqueadores)
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Amiodarona

Observações: n.d.
Interações: Amiodarona e meio de contraste iodado: Devido ao seu elevado teor de iodo, o meio pode despoletar tanto o hipertiroidismo como o hipotiroidismo. Deve ter-se especial cuidado nos doentes com bócio nodular com possível autonomia não detetada. Pode ser necessário um ajuste posológico de levotiroxina sódica devido a este efeito da amiodarona na função da tiroide. - Amiodarona
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Agentes/Meios de Contraste

Observações: n.d.
Interações: Amiodarona e meio de contraste iodado: Devido ao seu elevado teor de iodo, o meio pode despoletar tanto o hipertiroidismo como o hipotiroidismo. Deve ter-se especial cuidado nos doentes com bócio nodular com possível autonomia não detetada. Pode ser necessário um ajuste posológico de levotiroxina sódica devido a este efeito da amiodarona na função da tiroide. - Agentes/Meios de Contraste
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Salicilatos

Observações: n.d.
Interações: Salicilatos, dicoumarol, furosemida, clofibrato, fenitoína: A levotiroxina pode ser deslocada da ligação a proteínas plasmáticas por salicilatos, dicoumarol, doses elevadas (250 mg) de furosemida, clofibrato, fenitoína e outras substâncias. Isto leva a um aumento no nível plasmático de tiroxina livre (fT4 ). - Salicilatos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Dicumarol

Observações: n.d.
Interações: Salicilatos, dicoumarol, furosemida, clofibrato, fenitoína: A levotiroxina pode ser deslocada da ligação a proteínas plasmáticas por salicilatos, dicoumarol, doses elevadas (250 mg) de furosemida, clofibrato, fenitoína e outras substâncias. Isto leva a um aumento no nível plasmático de tiroxina livre (fT4 ). - Dicumarol
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Furosemida

Observações: n.d.
Interações: Salicilatos, dicoumarol, furosemida, clofibrato, fenitoína: A levotiroxina pode ser deslocada da ligação a proteínas plasmáticas por salicilatos, dicoumarol, doses elevadas (250 mg) de furosemida, clofibrato, fenitoína e outras substâncias. Isto leva a um aumento no nível plasmático de tiroxina livre (fT4 ). - Furosemida
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Clofibrato

Observações: n.d.
Interações: Salicilatos, dicoumarol, furosemida, clofibrato, fenitoína: A levotiroxina pode ser deslocada da ligação a proteínas plasmáticas por salicilatos, dicoumarol, doses elevadas (250 mg) de furosemida, clofibrato, fenitoína e outras substâncias. Isto leva a um aumento no nível plasmático de tiroxina livre (fT4 ). - Clofibrato
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Fenitoína

Observações: n.d.
Interações: Salicilatos, dicoumarol, furosemida, clofibrato, fenitoína: A levotiroxina pode ser deslocada da ligação a proteínas plasmáticas por salicilatos, dicoumarol, doses elevadas (250 mg) de furosemida, clofibrato, fenitoína e outras substâncias. Isto leva a um aumento no nível plasmático de tiroxina livre (fT4 ). - Fenitoína
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Estrogénios

Observações: n.d.
Interações: Contracetivos à base de estrogénio, medicamentos utilizados na reposição hormonal pós-menopausa: Os requisitos da levotiroxina podem aumentar durante a toma de contracetivos à base de estrogénio ou durante a terapêutica de reposição hormonal pós-menopausa. - Estrogénios
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Terapêutica hormonal de substituição (THS)

Observações: n.d.
Interações: Contracetivos à base de estrogénio, medicamentos utilizados na reposição hormonal pós-menopausa: Os requisitos da levotiroxina podem aumentar durante a toma de contracetivos à base de estrogénio ou durante a terapêutica de reposição hormonal pós-menopausa. - Terapêutica hormonal de substituição (THS)
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Levotiroxina sódica + Sertralina

Observações: n.d.
Interações: Sertralina, cloroquina/proguanil: Estas substâncias reduzem a eficácia de levotiroxina e aumentam o nível sérico de TSH. - Sertralina
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Levotiroxina sódica + Cloroquina + Proguanilo

Observações: n.d.
Interações: Sertralina, cloroquina/proguanil: Estas substâncias reduzem a eficácia de levotiroxina e aumentam o nível sérico de TSH. - Cloroquina + Proguanilo
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: n.d.
Interações: Antidepressivos tricíclicos: A levotiroxina aumenta a sensibilidade do recetor a catecolaminas, acelerando a reação a antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina, imipramina). - Antidepressores (Tricíclicos)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Amitriptilina

Observações: n.d.
Interações: Antidepressivos tricíclicos: A levotiroxina aumenta a sensibilidade do recetor a catecolaminas, acelerando a reação a antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina, imipramina). - Amitriptilina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Imipramina

Observações: n.d.
Interações: Antidepressivos tricíclicos: A levotiroxina aumenta a sensibilidade do recetor a catecolaminas, acelerando a reação a antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina, imipramina). - Imipramina
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Imatinib

Observações: n.d.
Interações: Imatinib: A concentração no plasma de levotiroxina (tiroxina) é possivelmente reduzida pelo imatinib. - Imatinib
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Glicósideos digitálicos

Observações: n.d.
Interações: Preparações digitálicas: Se a terapêutica com levotiroxina for iniciada em doentes digitálicos, a dose de digitálicos pode exigir ajuste. Os doentes com hipertiroidismo podem necessitar que a sua dose de digoxina seja gradualmente aumentada, à medida que o tratamento avança, uma vez que os doentes iniciais são relativamente sensíveis à digoxina. - Glicósideos digitálicos
Sem efeito descrito

Levotiroxina sódica + Simpaticomiméticos

Observações: n.d.
Interações: Agentes simpaticomiméticos: Os efeitos de agentes simpaticomiméticos (por exemplo, adrenalina) são melhorados. - Simpaticomiméticos
Sem efeito descrito

Levotiroxina sódica + Adrenalina (epinefrina)

Observações: n.d.
Interações: Agentes simpaticomiméticos: Os efeitos de agentes simpaticomiméticos (por exemplo, adrenalina) são melhorados. - Adrenalina (epinefrina)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Barbitúricos

Observações: n.d.
Interações: Medicamentos indutores de enzimas: Barbitúricos, rifampicina, carbamazepina e outros medicamentos com propriedades indutoras da enzima hepática podem aumentar a depuração hepática de levotiroxina. - Barbitúricos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Rifampicina

Observações: n.d.
Interações: Medicamentos indutores de enzimas: Barbitúricos, rifampicina, carbamazepina e outros medicamentos com propriedades indutoras da enzima hepática podem aumentar a depuração hepática de levotiroxina. - Rifampicina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Levotiroxina sódica + Carbamazepina

Observações: n.d.
Interações: Medicamentos indutores de enzimas: Barbitúricos, rifampicina, carbamazepina e outros medicamentos com propriedades indutoras da enzima hepática podem aumentar a depuração hepática de levotiroxina. - Carbamazepina
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Inibidores da Protease (IP)

Observações: n.d.
Interações: Inibidores da protease: Houve comunicações de que a levotiroxina perde o seu efeito terapêutico quando coadministrada com lopinavir/ritonavir. Os sintomas clínicos e a função da tiroide devem ser atentamente monitorizados em doentes a tomar concomitantemente levotiroxina e inibidores da protease. - Inibidores da Protease (IP)
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Lopinavir + Ritonavir

Observações: n.d.
Interações: Inibidores da protease: Houve comunicações de que a levotiroxina perde o seu efeito terapêutico quando coadministrada com lopinavir/ritonavir. Os sintomas clínicos e a função da tiroide devem ser atentamente monitorizados em doentes a tomar concomitantemente levotiroxina e inibidores da protease. - Lopinavir + Ritonavir
Usar com precaução

Levotiroxina sódica + Alimentos/Bebidas (Soja, fitinas, fitatos, oxalatos, taninos, pectinas)

Observações: n.d.
Interações: Produtos de soja: Os produtos de soja podem reduzir a absorção intestinal de levotiroxina. Foi registado, em crianças, um aumento no nível sérico de TSH quando lhes era dada uma dieta contendo soja e tratamento com levoritoxina para hipotiroidismo congénito. Podem ser necessárias doses anormalmente elevadas de levotiroxina para atingir níveis normais de T4 e TSH. Durante e após a cessação de uma dieta que contenha soja, é necessária a atenta monitorização dos níveis séricos de T4 e TSH; pode ser necessário um ajuste na dose de levotiroxina. - Alimentos/Bebidas (Soja, fitinas, fitatos, oxalatos, taninos, pectinas)
Sem significado Clínico

Ciclossilicato de zircónio sódico + Levotiroxina sódica

Observações: n.d.
Interações: Num estudo clínico de interação fármaco-fármaco realizado em indivíduos saudáveis com administração concomitante de amlodipina, clopidogrel, atorvastatina, furosemida, glipizida, varfarina, losartan ou levotiroxina não resultaram em interações fármaco-fármaco clinicamente significativas e não foram necessários ajustes de dose. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Ácido alendrónico + Cálcio + Colecalciferol + Levotiroxina sódica

Observações: n.d.
Interações: Cálcio/colecalciferol A eficácia da levotiroxina pode ser reduzida pela administração concomitante de cálcio, devido à diminuição da absorção de levotiroxina. A administração de cálcio e levotiroxina deve ser separada por um intervalo de pelo menos quatro horas. - Levotiroxina sódica
Usar com precaução

Rifampicina + Trimetoprim + Levotiroxina sódica

Observações: n.d.
Interações: Interação com a enzima citocromo P-450: levando em consideração que a rifampicina possui propriedades indutoras de certas enzimas do citocromo P-450, a administração concomitante de Rifampicina / Trimetoprim com outros medicamentos que são metabolizados por essas enzimas do citocromo P-450 pode acelerar o metabolismo e reduzir a atividade desses medicamentos. Portanto, deve ser usado com cautela quando Rifampicina / Trimetoprim é prescrito com medicamentos metabolizados pelo citocromo P-450. Para manter níveis terapêuticos adequados no sangue, a dosagem do medicamento metabolizado por essas enzimas pode exigir um ajuste da dose, tanto no início quanto no final do tratamento concomitante com Rifampicina / Trimetoprim. Exemplos de drogas metabolizadas pelas enzimas do citocromo P-450 são: anticonvulsivantes (por exemplo, fenitoína), antiarrítmicos (por exemplo, disopiramida, mexiletina, quinidina, propafenona, tocainida), estrógenos (por exemplo, tamoxifeno, toremifeno), antipsicóticos (por por exemplo, haloperidol), anticoagulantes orais (por exemplo, varfarina), antifúngicos (por exemplo, fluconazol, itraconazol, cetoconazol), medicamentos antirretrovirais (por exemplo, zidovudina, saquinavir, indinavir, efavirenz), barbitúricos, bloqueadores beta-adrenérgicos, benzodiazepínicos por exemplo, diazepam), medicamentos relacionados à benzodiazepina (por exemplo, zopiclona, zolpidem), bloqueadores dos canais de cálcio (por exemplo, diltiazem, nifedipina, verapamil), cloranfenicol, claritromicina, corticosteróides, glicosídeos cardíacos, clofibrato, contraceptivos hormonais, dapsona, doxiciclina, estrogénios, fluoroquinolonas, gestrinona, agentes hipoglicémicos orais (sulfonilureias), agentes imunossupressores (por exemplo, ciclosporina, tacrolimus), irinotecano, levotiroxina, losartan, analgésicos narcóticos, metadona, praziquantel, progestinas, quinina, riluzol, receptor antagonista seletivo de 5-HT3 (por exemplo, ondansetrona) estatinas metabolizadas pelo CYP 3A4, telitromicina, teofilina, tiazolidonas (por exemplo, rosiglitazona), antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina, nortriptilina). - Levotiroxina sódica
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ibuprofeno + Alumínio glicinato + Metamizol + Levotiroxina sódica

Observações: n.d.
Interações: Devido ao alumínio: Reduz a absorção de: ac. tiludrónico, alopurinol, AINEs, atorvastatina, betabloqueadores, captopril, carbenoxolona, digoxina, digitoxina, clorpromazina, epoetina, cetoconazol, levotiroxina, prednisona, etambutol, gabapentina, isoniazida, metronidazol, penicilamina, ciprofloxacina, norfloxacina, ranitidina, sais de Fe, tetraciclinas, cloroquina, ciclinas, diflunisal, bifosfonatos, fluoreto de Na, glicocorticoides, kayexalato, lincosamidas, fenotiazinas e neuroléticos. Administração separada 2-3 h (fluorquinolonas 4 h). - Levotiroxina sódica
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Levotiroxina sódica
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020