Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

EBIXA 10 mg/g Solução oral

Memantina

LUNDBECK
Medicamento com Advertência na Gravidez Medicamento com Advertência no Aleitamento Medicamento com Advertência na Insuficiência Renal Medicamento com Advertência na Condução Medicamento Sujeito a Receita Médica (MSRM) Clique para ver o Resumo de Grupo: EBIXA 10 mg/g Solução oral
O que é
Memantina pertence a um grupo de medicamentos conhecidos como fármacos antidemência.


A perda de memória associada à doença de Alzheimer deve-se a uma perturbação dos sinais mensageiros no cérebro.

O cérebro contém recetores do N-metil-D-aspartato (NMDA) envolvidos na transmissão de sinais nervosos importantes na aprendizagem e memória.

Memantina pertence a um grupo de medicamentos denominados antagonistas dos recetores NMDA.


Memantina atua nestes recetores, melhorando a transmissão dos sinais nervosos e a memória.
Usos comuns
A memantina é usado para tratar a demência moderada a grave do tipo de Alzheimer.
Tipo
pequena molécula
Indicações
Tratamento sintomático da doença de Alzheimer moderada a grave.
Classificação CFT
02.13.01 : Medicamentos utilizados no tratamento sintomático das alterações das funções cognitivas
Mecanismo de ação
Existem cada vez mais evidências de que as perturbações na neurotransmissão glutamatérgica, especialmente nos recetores NMDA, contribuem para a expressão dos sintomas e para a evolução da doença na demência neurodegenerativa.


A memantina é um antagonista não competitivo de recetores NMDA, de afinidade moderada e dependente da voltagem.

Modula os efeitos de níveis tónicos patologicamente elevados de glutamato que poderão levar à disfunção neuronal.
Posologia orientativa
Adultos:
Titulação da dose
A dose diária máxima recomendada é de 20 mg por dia.

De forma a reduzir o risco de efeitos secundários, a dose de manutenção é atingida através do aumento gradual de 5 mg por semana ao longo das primeiras 3 semanas, segundo o método seguinte:

Semana 1 (dia 1-7):
O doente deve tomar um comprimido revestido por película de 5 mg por dia, durante 7 dias.



Semana 2 (dia 8-14):
O doente deve tomar um comprimido revestido por película de 10 mg por dia, durante 7 dias.



Semana 3 (dia 15-21):
O doente deve tomar um comprimido revestido por película de 15 mg por dia, durante 7 dias.



Semana 4 e seguintes:
O doente deve tomar um comprimido revestido por película de 20 mg por dia.



Dose de manutenção
A dose de manutenção recomendada é de 20 mg por dia.
Administração
O tratamento deve ser iniciado e supervisionado por um médico com experiência no diagnóstico e tratamento da demência de Alzheimer.

A terapêutica só deve ser iniciada se estiver disponível um prestador de cuidados para monitorizar regularmente a toma do medicamento pelo doente.


Deve ser administrado por via oral, uma vez por dia.


Para tirar o maior benefício do seu medicamento, deve tomá-lo todos os dias, à mesma hora do dia.


Os comprimidos revestidos por película devem ser engolidos com água.


Os comprimidos revestidos por película podem ser administrados com ou sem alimentos.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Memantina.
Efeitos indesejáveis/adversos
De uma forma geral, os efeitos secundários observados são ligeiros a moderados.

Frequentes (afeta 1 a 10 pessoas em 100):
- Dores de cabeça, sono, prisão de ventre, teste de função hepática aumentado, tonturas, perturbações do equilíbrio, falta de ar, pressão arterial elevada e hipersensibilidade ao medicamento

Pouco frequentes (afeta 1 a 10 pessoas em 1.000):
- Cansaço, infeções fúngicas, confusão, alucinações, vómitos, alterações na forma de andar, insuficiência cardíaca e coagulação sanguínea venosa (trombose, tromboembolia)

Muito raros (afeta menos de 1 pessoa em 10.000):
- Convulsões

Desconhecido (a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis):
- Inflamação do pâncreas, inflamação do fígado (hepatite) e reações psicóticas

A doença de Alzheimer tem sido associada a depressão, ideação suicida e suicídio. Estes efeitos têm sido notificados com doentes tratados com memantina.
Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.
Advertências
Gravidez
Gravidez:
Gravidez:O produtor recomenda evitar a menos que seja essencial - em estudos animais verificou-se redução do crescimento intra-uterino. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados. Trimestre: 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento:
Aleitamento:Evitar; não há informação útil.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:
Insuf. Renal:Reduzir dose na IR moderada; não recomendado na IR grave (não há informação).
Conducao
Conducao:
Conducao:Para além disso, os efeitos de Memantina sobre a capacidade de conduzir é reduzida ou moderada, pelo que os doentes em ambulatório devem ser avisados para terem cuidados especiais.
Precauções gerais
É recomendada precaução em doentes com epilepsia, com antecedentes de episódios convulsivos ou com fatores predisponentes para epilepsia.


A utilização concomitante de antagonistas do recetor N-metil-D-aspartato (NMDA), tais como a amantadina, cetamina ou o dextrometorfano, deverá ser evitada.

Estas substâncias atuam no mesmo sistema recetor que a memantina e, por essa razão, as reações adversas principalmente relacionadas com o sistema nervoso central (SNC)] poderão ser mais frequentes ou mais acentuadas.


Alguns fatores que podem elevar o pH da urina requererão uma monitorização cuidadosa do doente.

Estes fatores incluem mudanças drásticas na dieta, por exemplo uma mudança de dieta carnívora para vegetariana ou a toma em grande quantidade de produtos gástricos tampão com efeito alcalinizante.

Para além disso, o pH da urina pode ser elevado por episódios de acidose tubular renal (ATR) ou infeções graves das vias urinárias provocadas por bactérias Proteus.


Na maioria dos estudos clínicos, foram excluídos de participar os doentes com enfarte do miocárdio recente, compromisso cardíaco congestivo descompensado (NYHA III-IV) ou com hipertensão não controlada.

Consequentemente, os dados disponíveis são limitados e os doentes nestas condições devem ser supervisionados cuidadosamente.
Cuidados com a dieta
Evite o álcool.

Poderá tomar com ou sem alimentos.



Deverá informar o seu médico caso tenha recentemente alterado ou pretenda alterar a sua dieta substancialmente (ex: de uma dieta normal para uma dieta estritamente vegetariana) ou se sofrer de estados de acidose tubular renal (ATR, um excesso de substâncias formadoras de ácido no sangue devido a uma disfunção renal (função dos rins debilitada) ou infeções graves das vias urinárias (estrutura que transporta a urina), uma vez que poderá ser necessário que o seu médico faça um ajuste da dose do medicamento.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência, ou ligue para o Centro de intoxicações.


Existe experiência limitada de sobredosagem obtida a partir dos estudos clínicos e experiência pós-comercialização.



Sintomas: Sobredosagens relativamente acentuadas (200 mg e 105 mg/dia durante 3 dias, respetivamente) têm sido associadas a sintomas de cansaço, fraqueza e/ou diarreia ou a nenhum sintoma.

Em casos de sobredosagem abaixo dos 140 mg, ou de dose desconhecida, os doentes revelaram sintomas com origem no sistema nervoso central (confusão, torpor, sonolência, vertigens, instabilidade psicomotora, agressão, alucinações e alterações na forma de andar) e/ou de origem gastrointestinal (vómitos e diarreia).


No caso mais extremo de sobredosagem, o doente sobreviveu a uma toma oral de um total de 2000 mg de memantina com efeitos no sistema nervoso central (coma durante 10 dias, seguido de diplopia e instabilidade psicomotora).

O doente recebeu tratamento sintomático e plasmaforese.

O doente recuperou sem sequelas permanentes.


Num outro caso de sobredosagem acentuada, o doente também sobreviveu e recuperou.

O doente recebeu 400 mg de memantina oral.

O doente apresentou sintomas relacionados com o sistema nervoso central tais como instabilidade psicomotora, psicose, alucinações visuais, proconvulsões, sonolência, estupor e perda de consciência.



Tratamento: Em caso de sobredosagem, o tratamento deverá ser sintomático.

Não está disponível nenhum antídoto específico para intoxicações e sobredosagens.

Devem ser utilizados sempre que apropriado os procedimentos clínicos standard para a remoção da substância ativa, como por exemplo lavagem gástrica, carbo medicinalis (interrupção da recirculação enterohepática potencial), acidificação da urina ou diurese forçada.


Em caso de sinais e sintomas de sobrestimulação geral de Sistema Nervoso Central (SNC), deverá ser considerado um tratamento clínico sintomático cuidadoso.
Terapêutica interrompida
Se se esquecer de tomar uma dose, espere e tome a dose seguinte à hora habitual.


Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no armazenamento
Manter fora da vista e do alcance das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Dopaminérgicos

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: O modo de ação sugere que os efeitos da L-dopa, dos agonistas dopaminérgicos e dos anticolinérgicos poderão ser amplificados pelo tratamento concomitante com antagonistas NMDA, como a memantina.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Anticolinérgicos

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: O modo de ação sugere que os efeitos da L-dopa, dos agonistas dopaminérgicos e dos anticolinérgicos poderão ser amplificados pelo tratamento concomitante com antagonistas NMDA, como a memantina.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Levodopa

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: O modo de ação sugere que os efeitos da L-dopa, dos agonistas dopaminérgicos e dos anticolinérgicos poderão ser amplificados pelo tratamento concomitante com antagonistas NMDA, como a memantina.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Os efeitos de barbitúricos e neurolépticos poderão ser reduzidos.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Neurolépticos

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Os efeitos de barbitúricos e neurolépticos poderão ser reduzidos.

Memantina + Antiespasmódicos (espasmolítico, antiespástico)

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: A administração concomitante de memantina e dos agentes antiespasmódicos, dantroleno ou baclofeno, pode alterar os efeitos destes medicamentos, podendo ser necessário um ajuste da dose.

Memantina + Amantadina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: A utilização concomitante de memantina e amantadina deverá ser evitada, devido ao risco de psicose farmacotóxica. Ambas as substâncias são antagonistas do NMDA, quimicamente relacionados. A mesma recomendação poderá aplicar-se para a cetamina e o dextrometorfano.

Memantina + Cimetidina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: A utilização concomitante de memantina e amantadina deverá ser evitada, devido ao risco de psicose farmacotóxica. Ambas as substâncias são antagonistas do NMDA, quimicamente relacionados. A mesma recomendação poderá aplicar-se para a cetamina e o dextrometorfano. Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.

Memantina + Dextrometorfano

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: A utilização concomitante de memantina e amantadina deverá ser evitada, devido ao risco de psicose farmacotóxica. Ambas as substâncias são antagonistas do NMDA, quimicamente relacionados. A mesma recomendação poderá aplicar-se para a cetamina e o dextrometorfano.

Memantina + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Existe um relatório de caso clínico publicado de um possível risco da combinação da memantina com fenitoína.

Memantina + Ranitidina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.

Memantina + Procainamida

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.

Memantina + Quinidina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.

Memantina + Quinina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.

Memantina + Nicotina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Outras substâncias ativas, como a cimetidina, ranitidina, procaínamida, quinidina, quinina e nicotina, que utilizam o mesmo sistema de transporte renal de catiões que a amantadina, também poderão interagir com a memantina, conduzindo a um risco potencial de aumento dos seus níveis séricos.
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Hidroclorotiazida

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: É possível que haja uma redução dos níveis séricos da hidroclorotiazida (HCT), quando esta, ou qualquer combinação contendo hidroclorotiazida, são administradas concomitantemente com memantina.
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Memantina + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: No âmbito da experiência pós-comercialização foram notificados casos isolados de aumento do quociente normalizado internacional (INR) em doentes tratados concomitantemente com varfarina.

Memantina + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Embora não tenha sido comprovada a existência de uma relação causal, aconselha-se uma monitorização rigorosa do tempo de protrombina ou do INR em doentes a tomar simultaneamente anticoagulantes orais.

Memantina + Glibenclamida + Metformina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Em estudos farmacocinéticos (PK) de dose única realizados em sujeitos jovens e saudáveis, não se observou qualquer interação relevante substância ativa/ substância ativa da memantina com gliburide/metformina ou com o donepezilo.

Memantina + Donepezilo

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Em estudos farmacocinéticos (PK) de dose única realizados em sujeitos jovens e saudáveis, não se observou qualquer interação relevante substância ativa/ substância ativa da memantina com gliburide/metformina ou com o donepezilo.

Memantina + Galantamina

Observações: N.D.
Interações: Devido aos efeitos farmacológicos e ao mecanismo de ação da memantina, poderão ocorrer as seguintes interações: Num estudo clínico em indivíduos jovens e saudáveis não se observou qualquer efeito relevante da memantina na farmacocinética da galantamina.

Memantina + Outros medicamentos

Observações: N.D.
Interações: A memantina não inibiu as CYP 1A2, 2A6, 2C9, 2D6, 2E1, 3A, a flavina monoxigenase, epóxido hidrolase ou a sulfatação in vitro.

Dextrometorfano + Quinidina + Memantina

Observações: N.D.
Interações: Antagonistas do recetor NMDA (memantina): Tanto o dextrometorfano como a memantina são antagonistas do recetor N-metil-D-aspartato (NMDA) o que, teoricamente, pode resultar num efeito aditivo nos recetores NMDA e, potencialmente, numa incidência aumentada de reações adversas. Realizou-se um estudo sobre a interação medicamentosa entre uma dose de associação mais alta de dextrometorfano/quinidina (dextrometorfano 23mg/quinidina 26 mg) e memantina 20mg/dia. Não se observou uma diferença significativa a nível das concentrações plasmáticas do dextrometorfano e do dextrorfano antes e após a administração da memantina, não se tendo verificado qualquer efeito nas concentrações plasmáticas da memantina antes e depois da administração da associação dextrometorfano/quinidina. Quando a memantina foi adicionada, as concentrações plasmáticas de quinidina aumentaram entre 20 e 30%. Não se tornaram visíveis interações farmacodinâmicas.

Galantamina + Memantina

Observações: N.D.
Interações: Outros medicamentos que afetam o metabolismo da galantamina: A memantina, um antagonista do recetor N-metil-D-aspartato (NMDA), na dose de 10 mg uma vez por dia, durante dois dias, seguida de 10 mg duas vezes por dia, durante 12 dias, não tem efeito na farmacocinética da galantamina (como Galantamina 16 mg cápsulas de libertação prolongada, uma vez por dia) no estado estacionário.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017